» » ESPN homenageia 5 craques da história do rádio no Brasil

Milton Neves, José Silvério, Osmar Santos, Pedro Ernesto Denardin e José Carlos Araújo estão numa lista mais do que seleta de nomes que marcaram a história do rádio no Brasil. Cada qual com seu estilo, formam um quinteto de currículo especial. Tradição, história e excelência pontuam a trajetória deles. A partir dessa percepção, os canais ESPN decidiram produzir cinco documentários para contar um pouco da vida profissional e pessoal desses personagens.

A ideia está associada à comemoração pelo centenário do rádio no Brasil. O primeiro episódio, que será exibido na madrugada do dia 26 de julho, homenageará Milton Neves. O veterano jornalista, 70 anos, começou sua carreira em Muzambinho, no sul de Minas, e decolou depois de ter se mudado para São Paulo e iniciado uma temporada na Rádio Jovem Pan. Polêmico, admirado por muitos e contestado por tantos outros, hoje ele é apresentador do Grupo Bandeirantes.



Na sequência, será a vez de José Silvério. Fora do ar após seis décadas de dedicação, Silvério, 76 anos, não desistiu ainda de voltar a cobrir uma Copa do Mundo – esteve em 11 edições da competição. Seu primeiro contato com a atividade que lhe rendeu prestígio e muito amigos se deu na Rádio Cultura de Lavras, cidade mineira a 371 quilômetros de São Paulo. Isso foi em 1963 e ali ele já dava o pontapé inicial de suas narrações esportivas. A passagem pela Jovem Pan e Rádio Bandeirantes, na qual trabalhou de 2000 a 2021, ajudou a eternizar suas transmissões.

A saga de Osmar Santos também vai ser lembrada pela ESPN. Aos 14 anos, já atuava com destaque na carreira que o projetaria. Irmão de outros dois radialistas de renome, Oscar Ulisses e Odinei Edson, ele debutou na Rádio Clube de Osvaldo Cruz, no interior de São Paulo. Mais tarde, seguiria para a capital paulista e seu sucesso foi se consolidando com uma linguagem mais jovem e adaptada às narrações de futebol.

Desfrutou do ofício por 31 anos, até que um acidente de automóvel, em 1994, quando tinha 45 anos, levou-o à perda de massa encefálica, o que o deixou sem voz. Também teve parte dos movimentos do lado direito do corpo comprometidos para sempre. Mas, com o passar do tempo, Osmar teve forças para se reinventar: hoje, pinta seus quadros com zelo e devoção, e os leiloa para amigos e fãs.

Locutor mais conhecido do Rio Grande do Sul, Pedro Ernesto Denardin, 72, é outro reverenciado pela emissora. Considerado o mestre da escola sulista de narradores de futebol e hoje profissional da Rádio Gaúcha, está há 50 anos entretendo o público que gosta do esporte. Mais recentemente, também tem recebido aplausos por subir em palcos e soltar a voz como cantor, numa investida ousada, sem medo de arranhar a fama e a credibilidade construídas no jornalismo.

A série vai terminar com mais um expoente do radiojornalismo brasileiro. José Carlos Araújo, conhecido como Garotinho, é o mais idoso desse grupo. Com 82 anos, mantém a motivação de outrora e não abre mão de sua imersão diária no mundo do futebol. Hoje, na Rádio Tupi, no Rio, ele é uma atração à parte nos grandes jogos disputados no Maracanã, Engenhão ou São Januário – todos querem fazer uma selfie ao seu lado. A voz ritmada e a vibração para descrever os gols ainda guardam resquícios de sua infância, quando narrava jogos de futebol de botão no bairro de Vila Isabel, na capital carioca.

A exibição da série especial começa com “Milton e suas paixões, com Milton Neves”, à 1 hora da madrugada do dia 26. Depois, vão ao ar “José Silvério, o Menino Chato”, na noite do dia 26; “Pedro Ernesto, o Locutor Vovô”, no dia 27; “Osmar Santos e os irmãos do rádio”, no dia 28; e “Coisas de Garotinho, com José Carlos Araújo", no dia 29. Os documentários, com reportagens, produção e roteiro de Marcelo Gomes e Rafael Valente, no entanto, já estão disponíveis no Star+.

FONTE: PORTAL TERRA

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta