» » Chile aprova lei que obriga desbloqueio do chip FM em celulares



O Congresso Nacional do Chile aprovou lei que altera a funcionalidade dos aparelhos de telefonia. A partir de agora, todos os celulares comercializados no país deverão ativar o chip que permite a sintonia de emissoras de rádio FM. A medida visa evitar que os consumidores sejam obrigados a utilizar o pacote de dados para ouvir o rádio.

O presidente da Associação de Radiodifusão do Chile (ARCHI), Eduardo Martínez, declarou a uma emissora local que os fabricantes deverão indicar quais aparelhos possuem chip e quais não possuem. Ele ressalta que as operadores de telefonia do país deverão oferecer benefícios a usuários que queiram mudar o modelo do aparelho para uma versão já equipada com a tecnologia.

A obrigatoriedade de inserção do chip FM nos celulares fabricados e comercializados no Brasil é uma das principais bandeiras de atuação da ABERT. Para sensibilizar os setores envolvidos para a importância da medida, a Associação lançou, em setembro, a campanha “Smart é ter rádio FM de graça”, composta por quatro spots de 30 segundos cada, banners e dois vídeos também de 30 segundos para as redes sociais.O material continua disponível para as emissoras que desejarem veicular gratuitamente as peças publicitárias.

Para acessar as peças da campanha, clique AQUI

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, se mostrou sensível ao tema e, durante almoço realizado pela ABERT com a presença de presidentes de associações estaduais de radiodifusão, em setembro, garantiu que trabalhará para assegurar que a população brasileira tenha acesso a celulares com chip FM desbloqueado o mais rápido possível.

"Nada mais justo que a gente possa dar, tanto para o setor, mas em primeiro lugar, para o cidadão, o rádio no celular, para que as pessoas não precisem comprar dados nem precisem entrar no 3G ou no 4G”, destacou Faria.

FONTE: ABERT

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta