» » Radialista processa SBT após ser dado como morto pela emissora



Em setembro, Bruno Aurélio Siqueira Brito da Silva, de 37 anos, foi encontrado morto no Rio de Janeiro. O rapaz era amigo de Jojo Todynho, que está confinada em A Fazenda 12. Ao noticiar o caso, o Primeiro Impacto, do SBT, fez confusão e identificou Bruno Aurélio de Freitas, 50, um radialista do interior de São Paulo, como sendo o assassinado. O profissional, que não tem relação com a vítima ou com a funkeira, viu sua foto exibida em rede nacional e pede R$ 100 mil de danos morais na Justiça. 

Em ação que corre desde 15 de outubro na Vara Única da Comarca de Colina do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Freitas pede indenização por ter sua foto usada de forma errônea em reportagens do SBT. Ele pede também que os vídeos com a sua imagem sejam retirados do YouTube da emissora. 

"Como uma TV do porte do SBT faz uma matéria usando uma foto de alguém que não tem nada a ver com o fato? A matéria trouxe alguns inconvenientes desnecessários", exclama Freitas ao Notícias da TV. 

Em 11 de novembro, o juiz Fauler Félix de Ávila deferiu liminar para o SBT retirar o conteúdo do ar. "Trata-se de ação de indenização por danos morais ajuizada por Bruno Aurélio de Freitas em face de TVSBT Canal 4 de São Paulo S/A. Narra a parte autora que é pessoa conhecida nos meios de comunicação, pois é profissional de rádio há quase 30 anos. Recentemente, foi surpreendido com notícia amplamente veiculada pela requerida, vinculando a imagem do autor a uma pessoa assassinada no Rio de Janeiro, amiga de Jojo Todynho", inicia.

Ao analisar as imagens e as alegações de Freitas, o magistrado entendeu que "ter a imagem associada à ocorrência de óbito gera inúmeros transtornos". "Dero a tutela provisória de urgência, para o m de que a requerida retire do ar, no prazo de cinco dias, a reportagem televisiva em voga ou outra que indique a imagem, nome e profissão do autor, relacionadas ao mesmo fato", define o juiz, que deu 15 dias úteis para a emissora de Silvio Santos contestar o feito. 

No entanto, até o fechamento deste texto, era possível encontrar o vídeo com a foto de Freitas no YouTube do SBT. 

Confusão no SBT 

À reportagem, Noel da Silva Santos, advogado da vítima, informou que o transtorno gerado para seu cliente começou em reportagens datadas de 26 de setembro, dia em que o amigo de Jojo foi encontrado morto na Zona Oeste do Rio. Durante uma semana, os telejornais do SBT, principalmente o Primeiro Impacto, identificaram o assassinado como sendo Freitas. 

"Onde mais ficou passando foi no [programa do] Marcão do Povo. Mas eles replicaram para as regionais e rede nacional. Está disponível no YouTube até hoje. Eles começam a notícia com a foto do verdadeiro [rapaz]. No meio da notícia, eles falam: 'Parece que era locutor de rádio', e aparece uma foto do Bruno no estúdio [de rádio]", explica a defesa.

A fotografia veiculada foi retirada das redes sociais de seu cliente. 

Em vídeo do Primeiro Impacto de 28 de setembro, Dudu Camargo comenta o caso. A reportagem exibe a foto do verdadeiro rapaz ao lado de Jojo Todynho em uma publicação feita pela equipe da cantora no Twitter. Ela era madrinha de um dos lhos do amigo e seu escritório lamentou a morte do compadre da artista. 

Em seguida, um registro de Freitas é exibido em tela cheia. O GC (gerador de caracteres, a legenda do vídeo) traz a informação: "Amigo de funkeira é assassinado em assalto. Locutor de rádio era compadre de Jojo Todynho". Camargo frisa que o assassinado trabalhava em uma rádio. Ao final, ele mesmo informa que a vítima era "técnico em telefonia", em uma verdadeira confusão de identificações. 

"Bruno é do ramo da comunicação. Essa situação cou chata para ele. A diferença [entre os dois] é nítida. O SBT foi notificado, e a Justiça concedeu a liminar. E já venceu o prazo [para retirar do ar], e ninguém do SBT nos procurou. Tem uma multa de R$ 1 mil por dia. Mas vou pedir para o juiz para aumentar", adianta Santos.

Locutor dado como morto

Freitas, locutor da Rádio Colina FM, na região de Barretos, interior de São Paulo, viu sua vida se transformar em um caos desde 26 de setembro. Ele também é produtor artístico e naquele dia, um sábado, viajava para São José do Rio Preto. 

"Começou a cair mensagem sem parar no WhatsApp e muitas ligações de alguns amigos de Goiânia, São Paulo, Minas Gerais e Pará. Tive que parar meu carro no acostamento e ver o porque de tantas mensagens e ligações. Para minha surpresa, o pessoal estava perguntando se eu estava bem. Inclusive, algumas pessoas mais próximas começaram a ligar no telefone de minha mulher. Isso antes das 7h da manhã", relata. 

"Por meio dessas mensagens percebi o acontecido, porque a galera mandava os prints da TV, da matéria, etc. [Minha mulher] ficou desesperada e ligando sem parar. Foi complicado. A matéria [com a foto errada] foi veiculada no domingo, na segunda, terça... Quer dizer, eles repetiam de três a quatro vezes ao dia", relembra. 

A repercussão foi tamanha que o radialista precisou criar um grupo no WhatsApp para avisar familiares e amigos que estava vivo. Enviar um áudio com sua voz foi a forma encontrada para acalmar os mais aflitos. "A linha de transmissão inclui os amigos e familiares para dizer em mensagem de voz que estava tudo bem comigo, que foi uma falha do SBT", explica.

A semelhança com o nome do conhecido de Jojo é a única proximidade do locutor com a cantora. Em suas redes sociais, ele até tem uma foto ao lado da artista, mas em um evento que sua profissão proporcionou. "Tive contato com a Jojo em Barretos em um show da Band FM, no qual trabalhei como produtor do evento. Foi um contato extremamente profissional. Não conheço e nunca tinha ouvido falar do Bruno Siqueira", finaliza. 

Procurada, a assessoria de imprensa do SBT não se manifestou sobre a ação de danos morais contra a emissora. 

FONTE: NOTICIAS DA TV | UOL

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta