» » » A força que tem a live no rádio


Esta matéria é baseada em números que nos foram disponibilizados pela empresa Streaming Bagé, parceira aqui do LPR. A empresa atua a mais de 15 anos no ramo de streamings de rádios e tv's na internet. Desta forma vem a alguns anos acompanhando os números de audiência de muitas das rádios que recebem o suporte deles em suas transmissões.

Atualmente existe uma enorme diversidade de rádios com propostas totalmente diferentes e com foco em diversos públicos.

De forma "mágica" algumas rádios e web rádios que recentemente entraram no ar simplesmente estouram audiência quando transmitem sua programação no Facebook.

Existem outras redes sociais é claro. Porém com público interessado em conteúdos de outros segmentos.

Muitas rádios tentam fazer live no Youtube e no Instagram porém não obtém o resultado que almejam. Isso acontece por motivos até bem óbvios, quem acessa o youtube, acessa buscando uma informação em específico, como por exemplo, uma receita, um tutorial, um clipe musical, enfim. Fica de fato difícil que usuários da plataforma cheguem até uma live de uma rádio, a não ser que tenha o link em específico e acima de tudo o interesse em assisti-la.

Já no instagram que se propõe a divulgação de fotos pessoais, eventos, reuniões de amigos, enfim. Os usuários entram lá em busca de ver fotos então podem até passar rapidamente por uma live ou outra mas não permanecem conectados por tempo suficiente para que possam avaliar se tem ou não interesse em permanecer.

Já no Facebook os resultados são bem melhores em virtude do perfil de usuários da plataforma, como o Facebook gera o feed em tempo real, as pessoas estão com mais tempo e buscam novidades, além de saber o que as outras pessoas estão fazendo, comendo, vestindo ou frequentando. Então um usuário quando rodando o feed, ao encontrar imagens de um estúdio de rádio, um comunicador frente ao microfone, para para assistir e se gostar do que está rolando, acaba ficando.

Um exemplo em números que podemos citar é o da Rádio Cidade Camaquã, entrou na internet a pouco tempo no dia 19/06/2019, não completou um ano ainda e em uma única live de 2 horas alcançou mais de 3,6 mil visualizações. Uma quantidade significativa que ultrapassa muitas rádios que estão no ar a muitos anos. Uma proposta nova do seu diretor Flávio Medeiros que vem realizando um belo trabalho. Uma emissora de rádio digital , contando com a maior e mais completa equipe de radiojornalismo do interior do RS, formada por mais de 30 profissionais com passagens por renomadas emissoras do Sul do País. Interessante ressaltar a audiência ao ponto de concorrer com emissoras de canais convencionais e faturamento comercial, seguindo tabela comercial semelhante à adotada por emissoras comerciais, proporcionando retorno ao seus anunciantes. Pra quem quiser conhecer o trabalho, basta acessar o site da rádio pelo endereço www.radiocidadecamaqua.com.br e também pela fanpage https://www.facebook.com/radiocidadecamaqua.


Frente a toda esta análise, chega-se à conclusão que o melhor caminho para colocar uma rádio ou uma programação na vitrine atualmente é o Facebook.

O grande problema de transmitir a programação de uma rádio nesta plataforma é o bloqueio das lives durante a transmissão em virtude dos direitos autorais. Esta situação é vivida no dia a dia de todos os comunicadores e radiodifusores no Brasil e no mundo todo.

A Streaming Bagé, percebendo esta situação, desenvolveu uma ferramenta bem interessante. A ferramenta usa os servidores de vídeo da estrutura Streaming Bagé e não os servidores do Facebook. Com isso, impede que o Facebook consiga efetuar o bloqueio das lives. A ferramenta não serve para lives de longa duração, pois a finalidade dela é justamente colocar a rádio na vitrine, levando ao maior número de pessoas alcançadas. Desta forma a ferramenta faz lives com tempo de 40 minutos a 1 hora durante o dia todo. Cada vez que uma live é iniciada envia a notificação a todos os usuários de que a rádio iniciou uma transmissão ao vivo. Desta forma despertando a atenção de quem já conhece e também de quem nunca ouviu falar na rádio.

O sistema é bem interessante pois ele não faz uso de chaves geradas pelo Facebook, ou seja basta abrir lá o OBS ou outro software de lives que a rádio utiliza e mandar transmitir. O sistema faz o resto tudo sozinho.
Vale ressaltar que estas lives ficam lá guardadas nas publicações e posteriormente são silenciadas pelo Facebook, claro, depois que são salvas nos servidores do Facebook eles encontram e silenciam.

Mas isso é o de menos, basta fazer uma faxina no final de cada dia apagando estes vídeos que foram gerados pelo sistema da Streaming Bagé.

A você que acompanhou este texto até aqui, agradecemos imensamente a atenção. Nós, Loucos Por Rádio estamos atentos a toda tecnologia disponível para continuarmos impulsionando as rádios comerciais, comunitárias, educativas, web rádios, enfim. O amor pelo rádio jamais vai terminar. 

Antes de encerrar, vamos deixando aqui o endereço do site da empresa para quem se interessou por esta tecnologia.
www.streamingbage.net.br o whatsapp disponível para suporte é o 53 99979-3249.

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta