» » Mutirão para migração das rádios AMs para as FMs é assinado em Florianópolis

Em Santa Catarina, 11 emissoras já estão operando em FM, 16 estão em processo e mais 13 foram autorizadas nesse evento. A mudança vai resultar em um sinal de qualidade, o que eleva a audiência e o faturamento das rádios. Além de um melhor sinal, agora estas emissoras poderão ser sintonizadas também em tablets e smartphones.
Ministro assinou documento para o início do mutirão de migração das rádios da frequência AM para as FMs - Daniel Queiroz/ND
Ministro assinou documento para o início do mutirão de migração das rádios - Daniel Queiroz/ND

“A radiodifusão é um setor que presta relevante serviço ao país. Em Santa Catarina queremos concluir todos os processos que até o início do próximo ano e no Brasil quase todos estarão finalizados no fim de 2018. A população ganha um som de qualidade e mais conforto para ouvir os seus programas”, explica o ministro.

O país tem 1.781 rádios AM. Mais de 70% já realizaram o pedido de migração. Para absorver a demanda, o dial FM terá uma faixa estendida, que vai de 76.1 MHz até 87.5 MHz (hoje as emissoras em FM utilizam entre 87.7 MHz até 107.9 FM). Essa faixa estendida deverá ser utilizada em regiões como Joinville, Florianópolis e Blumenau, por exemplo.
“Santa Catarina tem muitas características que nos difere de outros estados e, por isso, somos especiais. Nossas qualidades fazem de cada região uma potência econômica e com várias emissoras, sem a predominância de uma grande rede. Gerando empregos e o desenvolvimento do mercado da radiodifusão”, comemora o presidente da Acaert, Marcello Petrelli.
Após a publicação da autorização da Anatel no diário oficial da União, a emissora pode transmitir a programação em simulcasting – tanto em AM como em FM – informando o novo dial e o fim das transmissões em ondas médias durante seis meses.
Governador destaca a valorização do regionalismo
O governador Raimundo Colombo (PSD) ressalta o ganho no fortalecimento dos valores comunitários com a melhoria do sinal das rádios que migram do dial AM para o FM. Isso porque o custo operacional da radiodifusão é mais baixo e elas estão em todas as regiões.
“O rádio preserva a forma de comunicação valorizando os sotaques, a maneira de convivência das pessoas. São várias histórias contadas pela radiodifusão. Lembro no colapso elétrico em Florianópolis onde as rádios foram os únicos canais de comunicação que continuaram informando”, destaca o governador.
Raimundo aproveitou a visita do ministro Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Gilberto Kassab para realizar um pedido. Ele solicitou para o governo federal equipar os 13 parques tecnológicos. “Ele autorizou e agora vamos agilizar a burocracia”, confirma o chefe do executivo estadual.

>> Os números

Brasil tem 1.781 rádios no dial AM;
1.300 emissoras já pediram a migração para FM;
Em Santa Catarina, mais de 100 rádios já solicitaram a migração;
11 já estão operando em FM, 16 em processo e 13 foram autorizadas nesta sexta (17);
Segundo o ministro Kassab, cerca de 500 rádios realizaram a migração no Brasil;
Até o fim de 2018, a expectativa é de que 1 mil emissoras tenham feito a migração. 

>> Saiba mais

O decreto de migração foi assinado pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 7 de novembro de 2013;
Quem perdeu o prazo de migração, encerrado em 2014, não terá a oportunidade de fazer novamente;
O serviço de rádio AM continua existindo, mas as emissoras terão de operar nas faixas regional e nacional, porque a local será extinta;
Lages foi a segunda cidade do Brasil e a primeira da Região Sul a migrar uma rádio de AM para FM;
Mais de 50 rádios precisam aguardar o desligamento da TV analógica para migrarem no FM estendido. 

FONTE: ND ONLINE

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta