» » Procurado por estupro é preso após usar rádio para anunciar a própria morte em Sobradinho - RS


Procurado após ter a prisão decretada por estupro, um homem de 60 anos foi preso nesta quinta-feira (3) depois que tentou forjar a própria morte em Sobradinho, na Região Central do Rio Grande do Sul. Segundo a polícia, ele é suspeito de abusar de uma sobrinha, que teve uma filha com ele, e que também foi vítima.

Fingindo ser outra pessoa, Remar Soares foi até uma emissora de rádio da cidade para comunicar que o irmão havia morrido. Na recepção, ele se identificou como Osmar Soares. Ao preencher o formulário do anúncio, ele informou o próprio nome.

"Ele começou a chorar na recepção, dizendo que o irmão tinha morrido. Deu informações do velório, disse que o corpo seria cremado em Passo Fundo. É bem comum no interior as rádios noticiarem a morte de alguém da comunidade", conta ao G1 o diretor da rádio Sobradinho, João Vianei Zasso de Castro. "E a gente noticiou, jamais saberíamos que era mentira. Isso é inédito", completa.

Logo que a notícia entrou no ar, familiares telefonaram para a redação da rádio e relataram que a informação era falsa. "A gente começou a receber as ligações dos próprios familiares dizendo que ele estava vivo", diz João.

A polícia encontrou Remar no interior de Segredo, município próximo a Sobradinho. A delegada delegada Graciela Chagas acredita que o suspeito estava prestes a fugir e usou a emissora para despistar a polícia. "Desde abril a gente estava à procura dele. Ele simulou a própria morte para ter tempo de escapar", afirma.

Segundo ela, Remar é suspeito de ter abusado de uma sobrinha, então com 14 anos. Ela ficou grávida de uma menina, hoje com 8 anos de idade. "Ela começou a visitar ele e também foi abusada", diz.

Em 1995, Remar foi condenado pelo estupro de uma menina com síndrome de down. O crime ocorreu na cidade de Estância Velha. Na ocasião, ele foi preso, mas acabou solto anos depois.

FONTE: G1

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta