» » 4 erros que você pode estar cometendo no mídia kit da sua rádio


Mídia kit é um material desenvolvido para atrair a atenção dos anunciantes – e das suas agências – para os espaços comerciais da rádio. Quando bem desenvolvido, ele é um elemento que acaba com as dúvidas do potencial cliente e o convence que é um bom negócio anunciar com a sua emissora. Para isso, o material precisa ser completo, conter informações relevantes e ser visualmente atraente para quem lê. O seu mídia kit já apresenta todas estas características? Você já pensou que uma resposta negativa a esta pergunta, pode ser o motivo para as poucas vendas dos espaços da sua emissora? Se não, pode ser hora de começar a pensar nisso.

Neste post, reunimos as quatro principais reclamações das agências em relação ao mídia kit apresentado pelas rádios. Preste atenção nas dicas abaixo e garanta que o seu material, realmente, ajude a vender mais:
4 erros que você pode estar cometendo no mídia kit da sua rádio

1. Falta de informações quantitativas

Para as agências, é prioridade mostrar resultados para os seus clientes. Por isso, quanto menos riscos elas correrem na escolha dos veículos em que serão comprados espaços publicitários, melhor. Os dados quantitativos da rádio são essenciais para esta análise. Afinal, esta é uma informação fundamental para avaliar o alcance da emissora.

Para conseguir bons dados quantitativos para incluir no seu mídia kit você pode considerar contratar uma pesquisa feita pelo Ibope. Avalie se o retorno em vendas será maior do que o custo antes de definir se ele é válido ou não para o seu negócio. Se a resposta for sim, você terá acesso a um material repleto de informações relevantes para as agências. Mas, se o investimento não parecer um bom negócio para a emissora, aposte na inclusão de outros dados quantitativos para que as agências possam fazer comparações com a concorrência: a quantidade de participações na programação é um bom exemplo de amostragem do público da emissora.

Outro número importante para ser mostrado é a relevância digital da rádio: número de seguidores nas redes sociais, quantidade de compartilhamentos de posts e número de acessos no site são alguns exemplos. Se a rádio tiver um app, inclua os números de downloads, usuários ativos, acessos, tempo de permanência e outros dados que mostram o quanto a rádio também é ouvida pela internet.

2. Poucos detalhes na descrição do perfil da audiência

Outro exemplo de informação essencial para as agências é em relação ao perfil do público da emissora. Quem são os seus ouvintes? Qual é a faixa etária, os hobbies, a profissão, a região geográfica, o sexo e a classe social de quem sintoniza na sua frequência? Estes são dados fundamentais para que a agência avalie se os ouvintes da rádio fazem parte do público-alvo dos seus clientes.

3. Não fala sobre a abrangência

Qual é a área de abrangência da sua rádio? Ela alcança ouvintes de outras cidades? Essa também é uma informação necessária para garantir um mídia kit completo. Afinal, se o cliente da agência espera atingir consumidores de outros lugares e a sua rádio só alcança ouvintes locais, o resultado não será nem um pouco próximo do esperado. Mas, se a empresa do potencial cliente é focada em consumidores locais, a sua rádio pode ser a opção ideal – mas as agências só saberão disso se a informação estiver incluída no mídia kit.

4. Pouco cuidado com o layout

Informações completas devem ser prioridade na hora de desenvolver o seu mídia kit, mas um bom layout não pode ser esquecido. Inclua a logo da sua emissora e personalize o material para que a agência associe com facilidade o seu material com a sua rádio. Além disso, é fundamental incluir gráficos que facilitem a visualização dos dados quantitativos da sua emissora – as agências agradecem!


FONTE: CADENA

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta