» » Pra que serve o Phantom Power?



Uma breve história do Phantom Power

A alimentação Phantom Power já era utilizada desde a apresentação do telefone com discador giratório, em 1919.
A utilização comercial iniciou-se com o lançamento do primeiro microfone transistorizado do mundo, o Schoeps CMT20, em 1964. Este microfone funcionava com alimentação de 8 a 12V.

Em 1966, nos estúdios da NRK Norwegian Radio Corporation, a Neumann apresentou um novo tipo de microfone transistorizado, o KM84.
Como a rádio já possuía um sistema de baterias 48V para luzes de emergência, essa alimentação foi utilizada para os microfones e tornou-se, mais tarde, o padrão de tensão de audio.

O funcionamento da alimentação fantasma

A alimentação fantasma consiste em um circuito que injeta corrente contínua nas duas vias de sinal do cabo balanceado – são nessas vias (pino 2 e pino 3) que a informação elétrica do áudio passa.
No cabo balanceado (de 3 vias), a tensão de +48V tem como referencia de terra o pino GROUND do conector XLR (pino 1).
Essa forma de alimentação contrasta com os antigos cabos multi-vias utilizados para alimentar os microfones valvulados – na época, todos os estúdios já utilizavam cabos balanceados.
O sinal do cabo balanceado alimentado por Phantom Power tem um potencial de 48V nas vias de sinal. A referência (zero volt) é no terra do cabo.
Diagrama esquemático de um circuito de Phantom Power.
Diagrama esquemático de um circuito de alimentação. Fonte: https://www.sweetwater.com/insync/how-phantom-power-works/
Não existe diferença de potencial entre as vias (ambas possuem a mesma tensão elétrica),  que são ligadas à cápsula do microfone. Portanto, não existe corrente circulando nessas vias quando a cápsula está em repouso, e, por este motivo, o microfone não corre risco de ter sua cápsula danificada.
Já os microfones condensadores possuem circuitos ativos que são alimentados pelo potencial 48V, mas a corrente não circula diretamente na cápsula.

Onde utilizar Phantom Power

Phantom Power hoje em dia é utilizado para alimentar microfones condensadores e direct boxes ativos (leia sobre direct box). Se você conhece mais alguma aplicação, deixe seu comentário no fim do artigo!
Algumas mesas de som e interfaces possuem botões de ativação individual por canal. Desta maneira, você pode selecionar o canal ou grupo de canais que vão receber o dispositivo a ser alimentado.

Os perigos e os cuidados

Phantom Power é injetado através dos conectores balanceados da mesa de som (conectores XLR – clique aqui para saber mais sobre conectores de áudio). Dificilmente você irá conectar aparelhos desbalanceados nessas conexões, já que eles usam os conectores P10.
  • A alimentação Phantom Power em equipamentos com saída desbalanceada pode causar danos permanentes no equipamento.
  • Sempre utilize com cabos balanceados.
Cabo balanceado simples
Exemplo de cabo balanceado com 3 vias – o terra é a malha de cobre.
Verifique também se o seu microfone dinâmico não possui sistema de alimentação “T-power“, um sucessor do phantom. O funcionamento é similar, mas são incompatíveis.
Tome muito cuidado com a utilização de microfones de fita (Ribbon Mic), que geralmente possuem sistema T-power.

Postado por ADM

O portal da galera do rádio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta